Como o cigarro pode prejudicar sua saúde mental?

Uma pesquisa da Fiocruz revelou que durante a pandemia do novo coronavírus, 34% dos fumantes brasileiros disseram ter aumentado a quantidade de cigarros fumados. Já que setembro é o mês do combate ao suicídio com a campanha internacional Setembro Amarelo, damos atenção também à saúde mental. Mas qual é a relação entre o tabagismo, saúde mental e a pandemia do novo coronavírus?

O mesmo estudo da Fiocruz afirma que esse aumento se dá por conta da piora no quadro da saúde mental dos fumantes, com o agravamento de quadros de depressão e ansiedade por conta da Covid-19 e do isolamento físico.

Isso se confirma com uma pesquisa realizada pelo Instituto de Psicologia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) que mostrou que os casos de depressão praticamente dobraram desde o início da quarentena. Os dados informaram que entre março e abril, o percentual de pessoas com depressão saltou de 4,2% para 8,0%, enquanto para os quadros de ansiedade o índice foi de 8,7% para 14,9%.

Então, já sabemos um pouco sobre a relação do tabagismo com a saúde mental, mas por que isso acontece?

Tabagismo e saúde mental

Tabagismo é visto como uma doença crônica, sendo o ato de consumir cigarros ou outros produtos que contenham tabaco, o qual o princípio ativo é a nicotina. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), a nicotina inalada na fumaça do cigarro auxilia na liberação de neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer. Como é uma substância psicoativa, a nicotina produz alterações no Sistema Nervoso Central que modificam o estado emocional e comportamental do fumante, causando, assim, uma dependência química.

Essa dependência química vai aos poucos se tornando psicológica. A sensação de prazer que o cigarro traz faz com que as pessoas enxerguem nele a oportunidade de ter um momento calmo enquanto fuma.

Assim, a pessoa começa a utilizá-lo como a medida mais rápida para se afastar de sentimentos ruins, causados por diversos fatores. Pois, segundo uma psicóloga residente no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde do Adulto e do Idoso do Hospital Universitário de Aracaju (SE), é mais fácil para a pessoa esquecer dessas emoções ruins quando fuma do que ter lidar com elas.

Pessoas com transtornos mentais comuns, que é um grupo de problemas de saúde mental que inclui ansiedade e depressão não psicótica, são mais fumantes (33,7%), do que os que não possuíam esses transtornos (18,3% fumantes), como mostra uma pesquisa realizada pela Prefeitura da Cidade de São Paulo .

A relação com a saúde mental também aparece quando a pessoa tenta parar de fumar. Quando alguém tenta se livrar de uma dependência química, ela encontra diversos desconfortos físicos e psicológicos, o que resultam em diversas tentativas de acabar com o vício.

Então, parar de fumar por quê?

Sempre ouvimos sobre os malefícios do cigarro e não é à toa. A cada tragada dada em um cigarro são inalados mais de 4.720 substâncias tóxicas, além de 43 substâncias cancerígenas.

Fumar pode, diretamente, causar cerca de 50 doenças, entre elas, diversos tipos de câncer, doenças cardiovasculares e respiratórias crônicas. Além de, também, as pessoas que fumam terem infecções, como sinusite, pneumonias e tuberculose, com mais frequência e terem os mecanismos de defesa do organismo prejudicados.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que o tabagismo deve ser considerado uma pandemia, ou seja, uma epidemia generalizada. É considerado a maior causa evitável isolada de adoecimento e mortes precoces em todo o mundo.

Como o tabaco aumenta as chances de adquirir doenças nas e das vias aéreas, segundo o INCA, há também uma maior probabilidade de uma pessoa fumante desenvolver sintomas graves da Covid-19.

Por conta disso, recomenda-se altamente que se pare de fumar.

Se você parar de fumar agora:

  • Após 20 minutos, a pressão sanguínea e a pulsação voltam ao normal;
  • Após 2 horas, não há mais nicotina circulando no sangue;
  • Após 8 horas, o nível de oxigênio no sangue se normaliza;
  • Após 12 a 24 horas, os pulmões já funcionam melhor;
  • Após 2 dias, o olfato já percebe melhor os cheiros e o paladar já degusta melhor a comida;
  • Após 3 semanas, a respiração se torna mais fácil e a circulação melhora;
  • Após 1 ano, o risco de morte por infarto do miocárdio é reduzido à metade;
  • Após 10 anos, o risco de sofrer infarto será igual ao das pessoas que nunca fumaram.
  • Juntos com todos esse benefícios, e a diminuição de chances de chances de doenças e, principalmente, casos mais graves da Covid-19, um estudo realizado por especialistas as universidades de Birmingham e de Nottingham, na Grã-Bretanha, mostrou que pessoas que deixaram de fumar passaram a desenvolver menos sentimentos de depressão e ansiedade e eles passaram a ter uma visão mais positiva da vida, em relação aqueles que ainda fumavam.

    São tantos benefícios vindos com o fim do vício em cigarro que uma data foi criada para lembrar isso. O Dia Mundial Sem Tabaco, 31 de maio, foi criado em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de alertar a população sobre as doenças e mortes evitáveis que são relacionadas ao Tabagismo.

    Quero parar de fumar!

    Descubra sua motivação! Para se motivar, você precisa de uma razão pessoal. Pode ser para proteger sua família dos malefícios, diminuir as chances de desenvolver câncer de pulmão ou doença cardíaca ou mesmo porque você acredita que isso é o melhor para você. Se prenda à essa motivação sempre que tiver vontade de fumar!

    Defina uma data para parar de fumar! Em quanto tempo você acha que consegue? Desafie-se.

    Prepare-se: elimine o cheiro! Limpe o ambiente, elimine objetos relacionados ao cigarro (como cinzeiros) e não fique perto de fumantes.

    Busque apoio da família e amigos! Você precisa de aliados nessa luta para aumentar sua motivação. O apoio de família e amigos é essencial para te lembrar da sua motivação.

    Procure acompanhamento especializado e grupos de apoio! O tabagismo é um vício e você pode utilizar diversos métodos diferentes para te ajudar a parar de fumar. Busque um profissional de saúde para te ajudar. Todos os estados possuem coordenações de tabagismo, confira a do seu Estado no site do INCA. Além disso, um apoio psicológico sempre pode ajudar neste e em todos os âmbitos da sua vida, inclusive na melhoria da sua saúde mental, e como é sempre bom contar com algumas dicas para começar a terapia, fizemos um post no #BlogHbit sobre este assunto.

    Quebre a rotina: mude o local de refeição, varie pratos e as horas de suas atividades. Dessa forma, você quebra a rotina que tinha ao fumar.

    Concentre-se em outra atividade: quando sentir falta do cigarro (isso acontece normalmente nos primeiros dias), distraia-se com outra atividade que exija sua concentração.

    Cuide da alimentação! Como o cigarro serve, muitas vezes, como escape da ansiedade para alguns fumantes, muitos trocam o vício por comida. Uma forma de cuidar da alimentação nesses casos, é procurar ajuda de um nutricionista.

    Fortaleça o autocontrole! O ponto mais importante da luta contra o tabagismo é ter força de vontade. Não é uma tarefa fácil, mas é uma tarefa possível. É sempre importante ter em mente as vantagens de abandonar o vício.

    Sempre tente mais uma vez! É normal ter recaídas, mas isso não impede que você tente de novo. Na próxima vez, será mais fácil. E nunca é tarde para abandonar o vício! O cigarro pode ser abandonado em qualquer idade!

    Percebeu como o tabagismo é diretamente relacionado à saúde mental? Por isso, é importante cuidar tanto dela quanto de nossa saúde física. Neste Setembro Amarelo decidimos levantar mais ainda o debatesobre saúde mental e como mantê-la em dia pode ajudar na prevenção do suicídio.

    Fique atento no #BlogHbit e nas nossas redes sociais para mais informações e dicas de como cuidar da sua saúde.