Como funciona as células de trabalho da Covid-19 da HealthBit

Desde o início da pandemia, toda nossa equipe se movimentou para lidar com as infecções do novo coronavírus da melhor forma. Para isso, criamos as células de trabalho da Covid-19, nas quais já passaram mais de 300 mil vidas e mais de 12 mil foram acompanhadas de perto.

“A célula faz todo o processo de gerenciamento da Covid, desde os questionários de triagem de sintomas e otimização de testagens até os acompanhamentos de casos suspeitos, confirmados e monitoramento pós-Covid”, diz Milene Marmol, líder de saúde da HealthBit.

Além disso, as células também contam com ações como análise de dados e monitoramento das ações de controle, sendo cada uma de todas as etapas personalizadas de acordo com o setor e a necessidade do cliente.

“Contamos com uma estrutura funcional para o atendimento completo das necessidades de cada organização. Os times de saúde, tecnologia e dados se unem para criar boas práticas e auxiliar no suporte ao cliente com nosso acompanhamento da saúde dos colaboradores, a customização das tecnologias oferecidas pela HealthBit e análise detalhada dos dados de saúde”, diz Milene.

Pensando sobre a importância de se contar com um acompanhamento focado em Covid-19 na sua empresa, no #BlogHBit desta semana vamos falar sobre como é o trabalho feito pelo #TimeSaúde nas células de Covid-19 de três dos nossos clientes.

Como funciona o acompanhamento

As células de Covid-19 podem ser modificadas de acordo com o que o cliente precisa, além de contar com o acompanhamento focado feito por uma analista de saúde.

Uma empresa pode preferir utilizar somente o serviço de agendamentos de exames, outra optar pelo primeiro contato, enquanto outra também pode escolher desde a etapa de testagem até acompanhamento dos casos positivos e ações como visitas técnicas no local.

Três analistas de saúde da HealthBit, que acompanham o trabalho das células em cada uma dessas empresas, explicaram um pouco como ele é feito em cada uma delas.

Agendamento de exames

Caso a organização prefira contar somente com o serviço de agendamento de exames, esse passo pode acontecer de diversas formas.

Luciana Oliveira, enfermeira e analista de saúde da HealthBit, conta que em um dos nossos clientes, após o acompanhamento dos casos, visando a maior segurança para o retorno ao trabalho, a equipe de saúde encaminha os colaboradores de todo o Brasil para diversos laboratórios em várias cidades, devido a capilaridade da distribuição dos funcionários pelo país. “Precisamos organizar a logística para que o colaborador realize o exame em um local mais próximo a ele. Enquanto o exame não é agendado o colaborador não pode retornar ao trabalho, portanto, precisamos ser ágeis no direcionamento, sendo o nosso prazo de retorno menos de 24 horas após a sinalização da alta”, diz.

Segundo ela, esse cliente conta com as etapas: agendamento dos exames, orientação dos colaboradores e gestores do exame e análise dos exames e direcionamento para as altas e retorno ao trabalho presencial. “Nós estamos nesse processo desde o início, que foi desde a conversa com os laboratórios, até a definição dos melhores exames e alterações de protocolos”, diz a analista de saúde da HealthBit.

Todo o trabalho da HealthBit busca fontes de dados seguras e confiáveis. “Isso torna todo o processo muito ágil, fazendo com que os colaboradores retornem mais rápido e traz uma grande economia em testes”, diz Luciana.

“O que eu mais gosto do acompanhamento é a troca de informações com os colaboradores. Com os resultados em mãos, explicamos sobre o processo imunológico do vírus, reforçamos medidas de proteção e temos a segurança de que os colaboradores que estão retornando não estão mais transmitindo”, diz a enfermeira.

Primeiro contato inicial

Bárbara Bacan, analista de saúde da HealthBit, conta que para um dos clientes, é feito o primeiro contato, para entender qual o quadro atual da pessoa e o histórico com os sintomas iniciais, se houve contato com alguém suspeito ou que tenha confirmado a Covid e se há alguém na residência com sintomas, além de tirar possíveis dúvidas em relação à doença.

“A primeira ligação é fundamental para as orientações e dúvidas iniciais. A agilidade para o primeiro contato conta muito nos casos positivos, já que reforça todos os cuidados ao longo da doença e sinais de alerta. Nesse caso, como existe uma equipe de médicos para acompanhar os casos positivos após a primeira ligação, o trabalho é focado nesse primeiro contato e atua na distribuição dos casos confirmados para a equipe médica, agendamento automatizado de acordo com a frequência estabelecida pelo cliente e já com o respectivo responsável pelo acompanhamento do caso até a alta”, diz.

“A automatização do processo todo feito através de portal e ficha clínica, o encaminhamento de notificações dos casos positivos ao RH de forma automática por e-mail, e toda a gestão através de sistemas que são desenvolvidos pela própria HealthBit, trazem muita agilidade e organização nesse processo complexo de gestão de casos”, diz Milene Marmol.

Para iniciar esse contato, o Time de Saúde recebe duas fichas clínicas da empresa: uma com os suspeitos, que podem ser pessoas que estão aguardando resultado, assintomáticos contactantes com casos confirmados na mesma casa e/ou local de trabalho, casos negativos ou que ainda irão realizar a coleta do exame e até mesmo aqueles que não coletaram ou não foi solicitado, mas estão sintomáticos; e outra com os confirmados, que são os colaboradores com quadro confirmado de Covid, podendo estar em isolamento e/ou internados em enfermaria ou UTI.

“Recebemos essas fichas via portal, onde o próprio colaborador pode inserir seu resultado de exame, atestado, sintomas iniciais, entre outras informações, ou vem direto pela equipe da empresa, onde o capital humano faz a notificação do caso à equipe de saúde HealthBit”, diz Bárbara.

Na primeira etapa da célula nessa empresa, ocorre a identificação dos casos suspeitos e casos confirmados, diferenciados por cor na ficha, sendo os casos suspeitos em cinza e os casos confirmados em vermelho.

“Na segunda fase, ocorrem as ligações. Para os casos suspeitos, realizamos um script para as tentativas, e temos tido sucesso utilizando a intersecção entre ligações por telefone e contato via whatsapp. O contato com o grupo de saúde da empresa é muito próximo, então se sinalizamos que a ficha do colaborador está ainda nas tentativas de contato e sem sucesso, fazemos a rápida interlocução para que o timing da ligação não seja perdido”, diz Bárbara.

Na terceira e última etapa feita pelo Time de Saúde da HealthBit, os casos são enviados para a organização dar continuidade. “Nos casos confirmados, ao efetuarmos a ligação, também, é feita a notificação por e-mail contendo dados necessários, como data de início de sintomas, data de afastamento, estado de saúde atual, entre outros, que serão inseridos no sistema de E-SUS e servem como números de casos de Covid para os municípios. Por fim, enviamos à equipe de saúde da empresa, que faz apenas acompanhamento dos casos confirmados”, diz Bárbara.

“Gosto muito de realizar esse acompanhamento e também de poder ajudar os colaboradores a se manterem seguros quanto à doença e mostrar que está sendo feito com o apoio da própria empresa, pois, acho importante mostrar que a empresa se importa com a saúde e uma boa recuperação de seus funcionários”, diz Bárbara.

Diversas Etapas

O cliente para o qual a enfermeira e analista de saúde da HealthBit, Ana Ferrette, faz o acompanhamento da célula Covid-19 conta com diversas etapas e subgrupos de atuação da HealthBit. Como na parte de testagem, na qual é feita a triagem das solicitações que chegam através de um e-mail próprio da organização e ocorre uma orientação sobre qual o melhor tipo de teste e onde o funcionário pode realizar.

Segundo ela, ocorre também a fase de acompanhamento de casos positivos, que chegam através de e-mail ou de um portal, e o contato é feito via telefone e/ou WhatsApp para verificar o quadro e fornecer orientações. Caso o quadro seja considerado moderado, esse acompanhamento passa a ser diário e as condutas são discutidas diariamente com um médico infectologista.

Há uma outra etapa na qual são realizadas ações nos Centros de Distribuição da empresa, como visitas técnicas, orientações sobre mudanças de estruturas e elaboração de questionários para avaliação de sintomas dos funcionários.

“Gosto de ter a sensação de que, mesmo não presente fisicamente e distante da ‘linha de frente’ dos serviços de saúde, estou ajudando e dando suporte aos funcionários que seguem trabalhando desde o começo da pandemia. Saber que ajudei a evitar uma maior propagação da doença em alguma loja, por exemplo, e receber os feedbacks agradecendo pela atenção e cuidado nesse momento delicado me faz sentir útil no processo de enfrentamento”, diz Ana.

Esses são alguns dos trabalhos feitos pela HealthBit no enfrentamento contra a Covid-19. Para falar sobre outras ações e como criar protocolos voltados para a Covid-19, de forma concreta, vamos realizar o webinar gratuito “Estamos relaxando com a Covid-19?”.

Nele serão apresentados os erros mais comuns na adequação do ambiente de trabalho para Covid-19 e terá como palestrantes o Dr. Eduardo Gonçales, infectologista e sócio-fundador da empresa Infectoria Consultoria Médica, e Milene Marmol, enfermeira e líder de saúde da HealthBit.

O evento abordará os erros, os protocolos individualizados de prevenção, criação de fluxos e processos de trabalho e, também, acompanhamento de casos e investigação de surtos. Ele vai acontecer no dia 20 de maio de 2021, às 16h30. Para participar, inscreva-se: http://healthbit.paginas.digital/webinarerrosmaiscomuns