Como funciona a doação de sangue e qual a sua importância

A doação de sangue é um gesto solidário de doar uma pequena quantidade do próprio sangue para salvar a vida de pessoas. Porém, ainda tem diversas dúvidas e incertezas acerca dela, principalmente sobre como funciona a doação.

Esse assunto se torna ainda mais necessário por conta da diminuição nas bolsas de sangue dos hemocentros de todo o país. Segundo dados do sistema DataSUS, entre janeiro e novembro de 2020, o Brasil realizou 2.656.660 coletas de sangue. Este número é 9,88% menor do que no mesmo período de 2019, de acordo com o portal CNN.

Dia 14 de junho, também, é Dia Mundial do Doador de Sangue e, por isso, o #BlogHBit desta semana vai falar sobre como funciona a doação e porque ela é importante.

Importância da doação de sangue

A doação de sangue é importante pelo principal fato de ajudar e, muitas vezes, salvar as vidas de pessoas que se submetem a tratamentos e intervenções de saúde de grande porte e complexidade, como transfusões, transplantes, procedimentos oncológicos e cirurgias. Existem diversos fatos que mostram a importância da doação de sangue, como:

  • Não há um substituto para o sangue e ele é essencial em diversas situações nos hospitais, como em cirurgias e tratamento de pessoas com doenças crônicas;
  • A doação é super segura: o doador passa por uma extensa entrevista e seu sangue ainda é testado antes de ser transferido ao receptor;
  • Em 1 doação de sangue, você ajuda até 3 pessoas;
  • Por ser um ato voluntário, traz benefícios para a saúde do doador. Uma pesquisa publicada na revista “BMC Public Health” mostra que pessoas voluntárias vivem mais tempo, com uma mortalidade 20% menor se comparado aos não voluntários, além de terem menores índices de depressão, maior satisfação com a vida e bem-estar;
  • Requisitos para doar sangue

    A doação de sangue é um método que possui critérios extensos e complexos para permitir a doação, justamente para fazer com que ela seja um processo que não prejudique nem o doador, nem quem vai receber o sangue.

    Por isso, existe a triagem clínica, ou entrevista, que é feita antes da doação, onde todas as informações desse indivíduo serão avaliadas. É muito importante ser completamente honesto nesta entrevista para garantir a segurança da doação. E, mesmo depois da triagem, todos os sangues doados passam por um teste de sorologia, para identificar possíveis doenças e impedimentos para a transfusão daquele sangue.

    Para doar sangue, é necessário se atentar a esses critérios e seguir algumas orientações, como:

    Procure o lugar adequado

    Procure as unidades de coleta de sangue, como os Hemocentros, para checar se você atende a todos os requisitos necessários para doação. Entre em contato previamente caso tenha alguma dúvida e/ou algum problema de saúde crônico.

    Siga algumas etapas antes da doação

    De modo geral, exatamente antes da doação, é preciso se atentar a diversas instruções, sendo algumas delas:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos, desde que a primeira doação tenha sido feita até 60 anos;
  • Pesar no mínimo 50kg;
  • Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas);
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas 3 horas que antecedem a doação);
  • Se for doar sangue após o almoço, espere até 2 horas para doar;
  • Não pode ter fumado até 2 horas antes e 2 horas depois da doação;
  • Apresentar documento original com foto recente.
  • Como funciona a doação

    A doação de sangue funciona com diversas etapas e algumas delas podem ser feitas realmente como um passo ou divididas em diversos passos diferentes.

    Cadastro

    A primeira delas é o cadastro, onde é feita a identificação do doador no Hemocentro e, neste momento, é necessário a apresentação do documento de identidade.

    Apoio ao doador

    Esta etapa é realizada durante todo o processo de doação, mas, principalmente, durante seu início. Nela, o doador recebe orientações sobre o processo da doação, sobre os programas de doação (hemácias fenotipadas, aféreses, Medula Óssea, entre outros), e pode esclarecer suas dúvidas.

    Pré-triagem

    Aqui, ela pode ser dividida em diversas etapas. Porém, nesse ponto são verificados a pressão arterial, o pulso, o peso, a temperatura e é realizado o teste de anemia (dosagem de hemoglobina ou determinação do hematócrito).

    Triagem clínica

    Nesta etapa é feita uma entrevista com o doador com diversas perguntas que servem para analisar se podem existir riscos tanto para o doador quanto para o receptor. Novamente: é muito importante ser totalmente honesto neste momento, principalmente caso não saiba realmente a resposta.

    Coleta

    Depois, é realizada a coleta do sangue. Uma pessoa adulta tem, em média, 5 litros de sangue e o máximo retirado em uma doação são 450 ml, quantidade que ainda é reposta pelo corpo até 24 horas depois da doação.

    Voto de autoexclusão

    Antes ou depois da coleta, o doador ainda tem mais uma chance de dar o voto de confiança para o Hemocentro. É o voto de autoexclusão onde, de forma confidencial, o doador pode informar se foi realmente honesto em sua triagem e se o seu sangue é ou não adequado para ser usado em transfusões.

    Lanche

    É muito importante se alimentar antes e depois da doação. Por isso, tanto antes quanto depois, é fornecido um lanche para que o doador possa comer.

    Liberação

    Depois da doação, a bolsa de sangue é passada por uma série de exames e testes para avaliar se o sangue doado está apto para a transfusão.

    Essa liberação ocorre dentro de 24 a 48 horas e, só depois disso, as bolsas são disponibilizadas para a transfusão.

    Quais os cuidados que devem ser tomados depois da doação?

    Mesmo se alimentando, a pessoa ainda deve se cuidar por um tempo após a doação. Alguns deles devem ser:

  • Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas;
  • Aumentar a ingestão de líquidos (água);
  • Não fumar por 2 horas;
  • Evitar bebidas alcoólicas por 12 horas;
  • Manter o curativo no local da punção por, pelo menos, quatro horas;
  • Não dirigir veículos de grande porte, não trabalhar em andaimes e não praticar paraquedismo ou mergulho;
  • Fazer um pequeno lanche e hidratar-se. É importante que o doador continue se sentindo bem durante o dia em que efetuou a doação de sangue.
  • Outra dica é atentar-se para o prazo mínimo de intervalo entre doações: para homens é de 60 dias para homens e 90 dias para mulheres. Homens podem doar no máximo 4 vezes em 12 meses e as mulheres 3 vezes nesse mesmo período. Para pessoas com mais de 60 anos, o intervalo mínimo entre as doações é de 6 meses.

    Também separe um tempo para que a doação seja realizada, todo o processo da doação, do cadastro até o lanche, leva cerca de oitenta minutos, podendo ser maior ou menor dependendo da quantidade de pessoas que estão presentes no local.

    Durante a pandemia, tome cuidado na doação e vá de máscara. Além disso, caso tenha pego Covid-19, espere no mínimo 30 dias depois da recuperação clínica completa, ou seja, não apresentarem mais sintomas para poder doar novamente.

    Se você já foi vacinado contra a Covid-19 só pode doar 48 horas após cada dose da vacina Coronavac, da Sinovac/Butantan, 7 dias após cada dose da vacina de Oxford, da AstraZeneca/Fiocruz e 7 dias após cada dose da vacina da Pfizer/Biotec.

    Lembre-se sempre que doar sangue salva vidas!

    E você, já doou sangue? Nos conte nas nossas redes sociais.