Dia das Mães: como desenvolver sua inteligência emocional

O Dia das Mães está chegando e, por isso, decidimos falar sobre um assunto de extrema importância para todas as pessoas, inclusive, aquelas que maternam: inteligência emocional.

O termo “Inteligência Emocional” é estudado por diversos teóricos pelo menos desde a década de 90 e podemos defini-lo como “o subconjunto da inteligência social que envolve a capacidade de identificar os próprios sentimentos e os sentimentos dos outros, entendê-los e usar essas informações para orientar seus pensamentos e ações”.

Na prática, é conseguir conciliar seu lado emocional e racional, neutralizar emoções negativas que podem trazer alguns comportamentos destrutivos e, então, potencializar suas emoções positivas para gerar comportamentos desejados.

A inteligência emocional tem muita importância, justamente porque as emoções e o que fazemos com elas importa. Quando percebidas com precisão e reguladas de forma eficaz, as emoções nos ajudam a nos concentrar em tarefas importantes, tomar decisões eficazes, desfrutar de relacionamentos saudáveis ​​e gerenciar os altos e baixos da vida.

Desenvolvermos nossa inteligência emocional ajuda não só nós mesmos, como, também, as pessoas ao nosso redor e os nossos filhos, além de podermos ensiná-los a melhorar esse tipo de inteligência, instruindo-os a se acalmar, focar e prestar atenção.

No #BlogHBit desta semana, então, falamos sobre a inteligência emocional, suas competências emocionais e como melhorá-las.

Competências emocionais

Para se entender a Inteligência Emocional, é importante entender as competências emocionais, do campo das competências pessoais: autoconsciência e autogestão; e do campo das competências sociais: consciência social e gestão de relacionamentos.

Assim, reconhecendo a autoconsciência e a consciência social conseguimos regular a autogestão e a gestão de relacionamentos.

Autoconsciência

Essa competência diz respeito a reconhecer a si mesmo. Ter a consciência de como você se coloca no mundo, suas ações, reações, hábitos e comportamentos e refletir sobre isso. Identificar emoções, definir seus princípios e valores, auxiliando na autogestão e na consciência social.

Para melhorar essa competência, é preciso identificar, mas não julgar as emoções, anotar ou manter um acompanhamento de suas emoções, definir seus princípios e valores, ter limites saudáveis com os outros e ter um sistema de suporte que lhe dê um feedback sincero.

Autogestão

A autogestão fala sobre regular a si mesmo, administrando suas emoções, conhecendo gatilhos, vendo a situação como um todo, tendo responsabilidade sobre suas ações, refletindo sobre as situações antes de tomar decisões e fazendo algo que gosta diariamente.

Para aperfeiçoá-la, é importante definir e anotar seus objetivos; esperar 10 segundos antes de responder a algo que possa te fazer mal; seguir o “sleep on it”, uma expressão para dar um tempo no problema e pensar antes de reagir.

Também, encare as dificuldades como aprendizado, converse com alguém que tem boas habilidades em autogestão, sorria e ria mais e faça algo que você realmente gosta uma vez ao dia.

Consciência social

Essa competência foca na na sua habilidade de compreender as emoções das pessoas ao seu redor e ser capaz de oferecer escuta e empatia, sem julgamentos. Tudo isso, observando as pessoas ao redor, sendo sincero, elogiando as pessoas quando achar que elas fizeram algo positivo.

Para desenvolver a consciência social, cumprimente as pessoas pelo nome, pratique uma escuta reflexiva nas conversas e foque na outra pessoa, faça perguntas abertas para estimular a conversa e elogie ações bem sucedidas de seus colegas.

Além disso, observe a linguagem corporal dos outros, esteja presente, conceda a sua atenção ao outro, preste atenção ao QE dos outros ao seu redor e use sua intuição para perceber a cultura social ao seu redor.

Gestão de relacionamentos

A última competência emocional é a gestão de relacionamentos, ligada à autogestão e consciência social. Ela diz respeito a construir relacionamentos, de forma sólida, e se comunicar com uma grande variedade de personalidades, aproveitando ao máximo cada interação social.

Para melhorá-la, aprenda como receber feedback de forma positiva, construa confiança, demonstre quando se importa, explique suas decisões, não somente as faça, e faça feedback direto e construtivo.

Tudo isso, tendo como base o sistema de valores da honestidade, respeito e integridade para melhorar seu estilo de comunicação natural.

As competências emocionais são muito importantes porque tendo consciência delas e as desenvolvendo, você já consegue aperfeiçoar sua inteligência emocional.

Para evoluir ainda mais nesse âmbito, existem diversas dicas práticas que são apresentadas na palestra “Maternidade e inteligência emocional”, que a HealthBit está oferecendo no mês de maio, em conjunto com outros temas para trazer conhecimento e aprendizado a profissionais de diversas empresas.

Com duração de 1 hora, e feitas de forma virtual, por vídeo chamadas, através do Google Meet ou Microsoft Teams, os temas são:

  • A maternidade e inteligência emocional;
  • Gestão de tempo para mulheres que trabalham;
  • Estresse e saúde mental;
  • Hábitos saudáveis e autocuidado na maternidade;
  • Qualidade do sono;
  • Tema personalizado: uma palestra com o foco em um problema da empresa ou assunto que queira que seja abordado com os colaboradores.
  • Caso queira saber mais sobre as palestras, entre em contato conosco pelo e-mail comunicacao@healthbit.com.br