Janeiro Branco: o que pode impactar a saúde mental dos colaboradores?

Uma pesquisa realizada pela representante nacional da International Stress Management Association (ISMA-BR) mostra que 9 em cada 10 brasileiros no mercado de trabalho apresentam sintomas de ansiedade de diferentes graus. E de acordo com o Ministério da Previdência Social, nos últimos 10 anos, a concessão de auxílio-doença acidentário devido a saúde mental aumentou em quase 20 vezes.

Isso indica o quanto é necessário falarmos sempre sobre saúde mental no cotidiano e, principalmente, no ambiente de trabalho. Pensando nisso, um grupo de psicólogos de Minas Gerais começou uma campanha em 2014 com o objetivo das pessoas voltarem seus olhares para as questões subjetivas do ser humano, de modo a promover uma cultura de saúde mental: o Janeiro Branco.

A intenção da campanha é que passa-se a investir em psicoeducação, para que as pessoas possam começar aprender a como identificar os problemas psicológicos, de forma a se prevenir e evitar que se tornem algo mais grave no futuro. E, desta forma, a população pode parar de enxergar a saúde mental como um tabu e procurar ajuda profissional para lidar com essa área da saúde.

Já falamos diversas vezes como a HealthBit se preocupa com a saúde mental dos colabores: inclusive contamos as medidas que estamos adotando durante a pandemia do novo coronavírus, mesmo remotamente. Mas como sabemos como é importante sempre abordar esse assunto, vamos retomar e falar sobre alguns fatores que podem piorar a sua saúde mental, no ambiente do trabalho ou fora dele.

Fatores que impactam a saúde mental (e como melhorá-los)

Excesso de estímulos

No mundo de hoje somos alertados e lembrados o tempo inteiro de tudo: notícias, mensagens, ligações. Ou seja, a todo momento recebemos uma avalanche de informações que, caso não saibamos lidar ou filtrá-las, podem acarretar em estresses e transtornos de ansiedade e humor.

Nessa questão entram também as redes sociais. Em uma pesquisa publicada pela Sociedade Real para Saúde Pública (Royal Society for Public Health - RSPH, em inglês), os jovens entrevistados afirmaram que 4 das 5 redes sociais mais usadas por eles faziam com que os sentimentos de ansiedade aumentassem.

Estimular os funcionários a ter uma boa relação com as informações e, principalmente, priorizarem a saúde mental a respeito do que consomem também pode ser uma ação da organização. Lembrar a importância que este filtro a respeito do que é importante para cada pessoa e o que não trará uma melhora na saúde mental das pessoas, que podem melhorar até seu desempenho no trabalho.

Ambiente de trabalho estressante

Uma pesquisa realizada pela empresa Regus mostra que 55% dos brasileiros que participaram do estudo consideram suas atividades profissionais sua principal fonte de estresse.

Isso mostra que a maior parte dos ambientes de trabalho não garantem um bom cuidado com a saúde mental dos seus colaboradores, que podem se sentir pressionados, sobrecarregados, não recompensados corretamente e sem sentir que a empresa tem um compromisso com eles.

Essas questões podem ser resolvidas, de acordo com a OMS, o princípio para se construir um ambiente de trabalho saudável é pensar em programas que levem em consideração as seguintes abordagens para o equilíbrio mental: reduzir os fatores de risco provenientes do trabalho, como carga horária excessiva, insegurança de desemprego e relações tóxicas, desenvolver iniciativas que motivem e valorizem os funcionários e falar sobre e mostrar apoio às pessoas que passam por doenças mentais, não importando a sua causa.

Esses e outros fatores são o que integram o salário emocional, que é um conjunto de benefícios que tem fatores emocionais e motivacionais que fazem com que a pessoa comece, e continue, a trabalhar em uma empresa.

Falta de atividade física

Um estudo feito pela Escola de Medicina de Harvard dos Estados Unidos, mostra que 15 minutos de caminhada ou corrida reduzem em 26% os riscos de se ter depressão. Além disso, quando se pratica exercícios físicos, o cérebro humano libera endorfina, que traz uma sensação de bem-estar, conforto, melhor estado de humor e alegria.

Um dos exercícios físicos que ajudam muita na saúde mental é a meditação, que pode ser incluída na sua rotina de trabalho e ser incentivada na de todos os colaboradores da sua empresa.

Baixa qualidade do sono

A qualidade do sono é algo que realmente afeta a saúde mental. Pesquisadores da Nova Zelândia mostraram que pessoas que dormiam entre 8 a 12 horas por noite e tinham uma melhor qualidade de sono relataram menos sintomas de depressão.

A insônia pode causar cansaço, ansiedade e estresse que impactam, e muito, a empresa, fazendo com que o funcionário cometa muitos erros, tenha postura autoritária, se isola, falta, diminua sua produtividade e pode trazer situações de conflito como um todo.

Mesmo assim, há quem não veja a insônia ou a falta de qualidade de sono como um problema de saúde que, inclusive, pode ser tratado. De acordo com uma pesquisa da Universidade de Cambridge, um tratamento específico de sono, chamado TCC-i, que significa "Terapia Cognitivo-Comportamental para insônia", feito por eles, foi responsável por reduzir os casos de ansiedade e depressão dos participantes do estudo.

Aproveitando esse gancho do Janeiro Branco, a HealthBit se uniu com a empresa Vigilantes do Sono para mapear os colaboradores que sofrem com má qualidade do sono e de insônia dos nossos clientes. O mapeamento é feito por meio de um questionário ea partir dos resultados conseguimos trabalhar juntos para melhorar o sono e a qualidade de vida do colaborador. Isso é importante também para a empresa já que um colaborador com insônia, além de ter abertura para um quadro de depressão, custa 2.2x mais que um colaborador com boa qualidade de sono.

Além dessas dicas, existem diversas outras coisas que podem impactar a saúde mental de cada colaborador. Uma ideia para melhorá-la no ambiente de trabalho é incentivar, diariamente, que todos cuidem de si mesmos e de sua saúde física e mental, inclusive com terapia.

Fique ligado no #BlogHBit e nas nossas redes sociais para saber mais sobre saúde mental e as campanhas de todo o ano!