Olimpíadas: quais são os protocolos de segurança contra a Covid-19?

As Olimpíadas de Tóquio, que deveriam ter acontecido em 2020, começaram no dia 23 de julho de 2021. O evento esportivo, que reúne diversos competidores de países diferentes, está trazendo preocupações quanto às formas de controle e contenção da Covid-19.

Mesmo com medidas rigorosas de segurança, como ter competições sem plateia, 153 pessoas foram confirmadas como infectadas pela Covid-19 nos primeiros quatro dias de jogos. Além disso, Tóquio teve o dia 27 de julho de 2021, o maior número de casos de coronavírus em um só dia desde o início da pandemia, sendo registrados 2.848 diagnósticos de Covid-19 nas 24 horas anteriores.

No #BlogHBit desta semana vamos falar sobre as primeiras Olimpíadas que acontecem durante a pandemia do novo coronavírus, os protocolos de segurança e os que especialistas falam sobre as medidas.

Quais são os protocolos de segurança?

Os protocolos de segurança contra a Covid-19 nas Olimpíadas do Japão contam com as seguintes medidas, definidas para o público e para os atletas e membros delegações.

Para o público

  • Jogos sem público em 38 das 43 instalações olímpicas;
  • Apenas residentes do Japão podem assistir aos jogos;
  • Definição de protocolos internos de deslocamento entre as regiões para evitar aglomerações rumo aos eventos;
  • Não serão feitos nem exigidos testes e/ou vacinas para os torcedores;
  • Os torcedores têm que usar máscara o tempo todo e manter uma distância mínima entre si;
  • É proibido falar em voz alta ou gritar;
  • A chegada e a saída das arenas são escalonadas a fim de evitar aglomerações.

As medidas relacionadas ao público nas competições não são definitivas, podendo mudar de acordo com o número de casos de Covid-19. Caso haja um aumento de infecções, as arenas que ainda recebem torcedores podem fechar seus portões e, caso o número diminua, pode haver flexibilização das restrições.

Para os atletas e membros de delegações

Os protocolos dos atletas começaram há bem mais tempo do que o início das Olímpiadas. Todos tiveram que ser testados duas vezes antes do embarque ao Japão e apresentar resultados negativos para infecção por coronavírus e, ao chegarem ao Japão, também foram testados. Já na Vila Olímpica, eles devem:

  • Usar máscaras em todos os momentos, com exceções de algumas disputas esportivas;
  • Não ter contato desnecessário com pessoas de outras delegações;
  • Evitar contato físico, como apertos de mão e abraços;
  • Seguir a recomendação para que mantenham uma distância de dois metros para atletas e ao menos um metro de outros credenciados, inclusive em áreas operacionais;
  • Seguir a recomendação para evitar lugares fechados e com aglomerações;
  • Utilizar somente os veículos olímpicos dedicados;
  • Utilizar o aplicativo para acompanhamento da saúde dos atletas, o OCHOA e o COCOA;
  • Nos refeitórios, comer entre os vidros que separam os atletas;
  • Colocar as próprias medalhas ganhas;
  • Realizar testes diários para detecção de Covid-19;

Caso o resultado de algum destes testes seja positivo ou inconclusivo, o atleta será imediatamente isolado e fará uma contraprova com duas metodologias diferentes. Se for confirmada a contaminação, o atleta será transportado para um local onde cumprirá o isolamento e terá a saúde monitorada. Sendo o local e o tempo de permanência definidos pelas autoridades japonesas de acordo com a gravidade dos sintomas.

Os atletas foram vacinados?

Como uma das principais formas de prevenção contra a Covid-19 é a vacina, pode-se ficar na dúvida se houve a imunização dos participantes das Olimpíadas.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) recomendou que todos os atletas fossem vacinados, porém não colocou a vacinação como item obrigatório para a participação nas Olimpíadas. Mesmo assim, ao todo, 85% dos atletas participantes foram vacinados.

Seguindo a decisão do COI, o Comitê Olímpico Brasileiro (COB) deixou que os atletas brasileiros escolhessem se iriam se imunizar ou não. Uma matéria publicada no dia 13 de julho de 2021, 10 dias antes da abertura oficial das Olimpíadas, apontava que 75% dos atletas brasileiros foram totalmente vacinados, com as duas doses ou com a dose única. Caso fosse levada em consideração a primeira dose, cerca de 90% dos atletas haviam se imunizado.

Outros comitês também deixaram aberta a possibilidade de se vacinar, como o dos Estados Unidos. O departamento médico da equipe olímpica dos Estados Unidos disse que 83% dos 600 atletas foram totalmente imunizados e, por isso, toda a delegação está sendo tratada como não vacinada para garantir que sejam cumpridos os protocolos de saúde e segurança.

Por que mesmo com essas medidas estão tendo casos de Covid-19?

Primeiro devemos ter em mente que mesmo havendo contaminação, não significa que os métodos não estejam funcionando. Os protocolos de segurança servem para ajudar a evitar a contaminação e propagação da doença.

De acordo com o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, “não existe risco zero, só existe risco maior ou risco menor. As escolhas que fazemos diminuem ou aumentam os riscos, mas não eliminam”, disse.

Antes do início dos jogos, Tedros disse aos membros do COI, estar ciente dos casos que já haviam sido registrados, mas informou que os registros são sinais de controle dos casos. De acordo com matéria publicada pelo portal G1, ele declarou que: “o marco do sucesso é que todos os casos sejam identificados, isolados, rastreados e cuidados o mais rapidamente possível”.

Por fim, o diretor da OMS ainda afirmou que o evento é a oportunidade de mostrar para o mundo a importância da adoção das medidas para prevenir a Covid-19 e que espera que sejam bem sucedidos, como uma demonstração do que é possível realizar o evento quando se adotam os planos corretos e medidas corretas. Ele completou, também, dizendo que esses planos e precauções serão colocados em testes.

O que você achou das medidas de segurança contra a Covid-19 das Olimpíadas de Tóquio? Qual medalha você daria a elas? Conte para a gente em nossas redes sociais!