Pausa ativa: o que é e como ela ajuda na saúde organizacional à distância

É muito importante cuidar da saúde do seu colaborador, porém, com muitas empresas tendo aderido ao trabalho remoto, existem diversas dúvidas de como promover a saúde física dos seus colaboradores e muitos temas acerca da saúde organizacional, como pausa ativa, começaram a surgir.

Durante a pandemia do novo coronavírus, as pessoas reduziram o número médio de passos dados por dia, de acordo com uma pesquisa realizada pela fabricante de monitores de atividade física Fitbit, que analisou os dados de 4 milhões de usuários em todo o mundo em março e em junho de 2020. No Brasil, houve uma redução média de 17,4% do número de passos dados em junho de 2020, em relação ao mesmo mês do ano anterior.

Os pesquisadores, ao analisarem os dados daquele mês, notaram que as pessoas ainda não haviam atingido os mesmos níveis de atividade de 2019.

Além disso, de acordo com matéria publicada no Jornal da Universidade de São Paulo (USP), a cobrança por produtividade presente na sociedade e, inclusive em meio à pandemia, pode aumentar os casos de síndrome de burnout no Brasil, que já conta com cerca de 30% de sua população sofrendo com a doença, segundo a International Stress Management Association do Brasil (Isma).

A pesquisadora do Laboratório de Estudos sobre o Trabalho e Orientação Profissional (Labor) da USP, Maria da Conceição Uvaldo, informa que estresse constante, exaustão mental, fadiga, dores de cabeça e musculares e irritabilidade são os sintomas mais comuns da síndrome do esgotamento profissional, causada principalmente pela alta tensão no trabalho.

Nesse momento pode parecer muito difícil para a empresa cuidar da saúde organizacional e incentivar a prática de exercícios físicos. Como também pode ser complicado para os colaboradores se desligarem do trabalho, que está o tempo todo na sua casa. Por isso, no #BlogHBit desta semana, vamos falar sobre uma resposta simples e que pode ser feita em conjunto, mesmo à distância, a pausa ativa.

Pausa ativa

A pausa ativa diz respeito àqueles pequenos intervalos que tiramos durante o período em que trabalhamos, onde podemos relaxar a musculatura corporal e aliviar nossa preocupação com a tarefa que está sendo realizada.

Isso vai em contramão com a ideia de produtividade na sociedade, que acredita que temos que produzir o máximo de tempo possível. Pois, quando estamos muito tempo em apenas uma tarefa, não conseguimos mais focar nela porque já estamos desgastados. Por isso, a pausa ativa é ainda mais importante: ela fornece um intervalo que permite que o cérebro relaxe e volte a se concentrar totalmente depois.

Esses intervalos podem ser feitos para levantar para pegar um café e conversar com alguém que mora com você, mas trazem ainda mais vantagens quando, nesse período, é feita alguma atividade física: já que, assim, o corpo libera endorfina, o neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar.

Em março de 2020, a Universidade do Porto, em Portugal, lançou um projeto piloto nas faculdades de Medicina (FMUP) e Farmácia (FFUP) e no Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar (ICBAS). Nele, depois de uma hora de estudos em uma aula de 90 minutos, um instrutor do Centro de Desporto da Universidade do Porto (CDUP-UP) entrava na sala de aula, para que os estudantes realizassem uma breve pausa de 5 minutos, na qual eram feitos alongamentos e exercícios de ativação muscular.

O professor da Faculdade Medicina, Daniel Pozza, relatou que depois disso, em três aulas na semana, foi possível verificar um aumento do rendimento das aulas, tanto no nível de atenção por parte dos estudantes, como na disposição para os professores continuarem a trabalhar.

Assim, já podemos notar quais são alguns benefícios da pausa ativa, mas existem diversos outros.

Aumenta a concentração

Quando essas pausas são feitas, o cérebro tem a oportunidade de se recuperar do esforço desprendido para a realização daquela tarefa, já que ele não foi feito para ficar longos períodos de tempo focado sem nenhum tipo de descanso.

Por isso, é muito importante realizar esses intervalos para que o cérebro relaxe e consiga se concentrar novamente, o que aumenta a nossa produtividade sem que haja uma grande tensão ou muito estresse.

Diminui a carga mental

Quando ficamos longos períodos de tempo focados em uma tarefa, ou focamos em diversas tarefas uma atrás da outra sem ter um intervalo entre elas, ficamos mais esgotados mentalmente e fisicamente.

Depois de vários períodos assim, temos que nos esforçar mais para nos concentrar e acabamos comprometendo a qualidade do trabalho que estamos realizando. Só quando descansamos, podemos relaxar mais e diminuir a carga mental.

Estimula a criatividade e resolução de problemas

Você já ouviu falar em alguma história de alguém que ficou muitas horas tentando resolver um problema, desistiu, foi fazer um lanche ou descansar e só depois que voltou desse repouso, conseguiu pensar em uma solução? Pois isso é bem comum.

Quando estamos muito cansados mentalmente, não conseguimos mais pensar de forma criativa, realizando nossas ações de forma muito mecânica. As pausas podem ajudar a nos fazer pensar diferente e analisar o trabalho que estamos fazendo de outras maneiras, trazendo uma solução mais assertiva.

Reduz sintomas de estresse e ansiedade

Ao ficarmos muito tempo focando em uma tarefa, não conseguimos mais ter tanta concentração nela como quando a iniciamos e isso, pouco a pouco, começa a trazer sinais do estresse e da ansiedade, já que não alcançamos os níveis esperados por nós mesmos. Quando descansamos, conseguimos focar melhor e diminuir esses sintomas.

Previne dores

Os colaboradores que possuem uma postura ruim e realizam muitas vezes o mesmo movimento, podem desenvolver dores e inflamações em locais específicos. Ao ser feita uma pausa para realizar alongamentos e exercícios ocorre uma suspensão desse movimento repetitivo ao mesmo tempo em que ativa-se a atividade muscular do restante do corpo que estava em estado de sedentarismo.

Se for feito em conjunto, pensando nas ações que são desempenhadas pelos funcionários da empresa ou com foco na pessoa, as atividades físicas feitas durante as pausas ajudam a evitar dores que podem decorrer dessas ações e desse estresse contínuo.

Como a pausa ativa ajuda na saúde organizacional

É muito importante cuidar e acompanhar a saúde do colaborador. E, principalmente, criar uma cultura de prevenção e atenção à saúde, já que para cada US$1 investido em prevenção na saúde, US$4 são gerados com aumento de produtividade.

Além disso, a dedicação à saúde organizacional traz diversos benefícios como:

  • atração e fidelização dos talentos;
  • menos faltas, atrasos e afastamentos;
  • aumento da produtividade.
  • Quando a empresa demonstra preocupação com a saúde do colaborador, ele sente-se respeitado e valorizado. E, essa preocupação honesta com a saúde de seus funcionários, é um modo prático de estabelecer que os colaboradores são preciosos para a sua organização e, sentindo-se valorizado, o funcionário fica mais satisfeito e é mais produtivo.

    A pausa ativa, em conjunto com outros programas de saúde, mostra o real cuidado da organização com a saúde organizacional da empresa e a saúde dos colaboradores. Também, ela pode ser incentivada à distância e até mesmo ser realizada em conjunto, por meio de aulas online com algum especialista que ensina movimentos que podem ser feitos nesses intervalos.

    Pensando nisso, a HealthBit desenvolveu o Programa de Nutrição e Movimento nas Empresas, em parceria com a empresa Seja One, que conta com especialistas para ajudar na melhora da nutrição e da prática de atividades físicas dos talentos da organização.

    O principal objetivo do programa é desenvolver grupos para acompanhamento nutricional e físico para uma melhor qualidade de vida, prevenção de doenças e casos graves, com plano alimentar saudável e rotina de exercícios.

    Para saber mais, acesse o índice do programa e entre em contato conosco pelo e-mail larissa.dias@healthbit.com.br