Qual a importância do sono para a saúde mental?

Diversos fatores podem impactar a saúde mental, e inclusive já falamos sobre alguns deles aqui no #BlogHBit. Porém, um dos pontos de maior importância e que mais é afetado e afeta a saúde mental é o sono.

E não só para a saúde mental: o sono é tão fundamental para a nossa saúde quanto alimentar-se bem, ter uma rotina de atividade física constante e beber água, sendo um grande aliado para poder se sentir bem e saudável.

Além disso, um estudo publicado no periódico Frontiers in Psychology e realizado pela Universidade de Otago, na Nova Zelândia, concluiu que um sono de boa qualidade é o principal fator, que pode ser modificado, capaz de garantir a boa saúde mental e o bem-estar de jovens adultos. Na pesquisa, os participantes que afirmaram ter um bom sono apresentaram menos que a metade de sentimentos negativos/depressivos em uma semana do que quem declarou ter um sono de baixa qualidade, além de relatem ter mais sentimentos positivos no mesmo período.

E cada vez se torna mais necessário falar sobre a qualidade de sono. Uma pesquisa divulgada pelo Instituto do Sono, de São Paulo, que ouviu 1.600 pessoas de 24 estados no Brasil, mostrou que quase 70% dos participantes estão tendo dificuldade de dormir na pandemia e que cerca de 60% das pessoas acordam mais vezes durante a noite.

Por isso, no #BlogHBit desta semana vamos falar sobre a importância do sono para a saúde mental, com as falas da psicóloga e co-fundadora da startup Vigilantes do Sono, Laura Castro, no evento “O papel do RH na campanha Setembro Amarelo: como ajudar os colaboradores a cuidarem da saúde mental?”, que aconteceu dia 9 de setembro. Para assistir ao evento inteiro, se cadastre no site http://healthbit.paginas.digital/assista-o-papel-do-rh-na-campanha-setembro-amarelo

Importância do sono para a saúde mental

O sono é um mecanismo de adoecimento

Para Laura Castro, o sono é um mecanismo de adoecimento mental e físico. “Qualquer pessoa antes de um surto psicótico, por exemplo, passa noites sem dormir”, diz. Ela afirma que um problema com a qualidade do sono é um sinal de que algo não vai bem, ou seja, quando algo está errado, a primeira função psicobiológica afetada e que se altera é o sono.

img
Sono é importante para o corpo conseguir cumprir várias funções importantes para a memória e organização mental e emocional

É no período em que estamos dormindo que o nosso corpo atinge o completo relaxamento, proporcionando o descanso físico. Nesse momento, o cérebro é capaz de processar tudo que vivemos durante o dia, garantindo a consolidação da aprendizagem, recuperação emocional, controle do humor, da atenção e do estímulo à criatividade.

Ou seja, durante o sono acontece uma série de funções importantes para a memória e para a nossa organização mental e emocional. Isso porque só armazenamos ou deletamos a memória emocional durante o sono em que acontece os sonhos, também chamado de sono REM, quando temos o movimento rápido dos olhos.

Falta de sono afeta nossa percepção

Com a falta de sono, a comunicação entre as regiões límbicas, que tem esse controle da memória emocional e o córtex pré-frontal não acontece da forma como deveria. Assim, nossa capacidade de julgamento, de interpretar afetos e situações fica comprometida.

Desta forma, temos uma percepção amplificada de julgamento inadequado. Como exemplo, a Laura Castro cita o pesquisador do sono Matthew Walker que diz que temos uma capacidade inata de reconhecer o afeto do mal e do bem, mas que quando não estamos dormindo bem, essa capacidade fica afetada e não conseguimos mais reconhecer o bem e o mal da mesma forma.

img
Pessoas com uma pior qualidade de sono podem ser mais hospitalizadas

Um mapeamento realizado pela Vigilantes do Sono, envolvendo mais de 10 empresas, com quase 3,5 mil pessoas, teve como resultado que a queixa de insônia clinicamente relevante pode atingir mais de ⅓ dos colaboradores, principalmente entre jovens e aqueles trabalhando sob pressão, como na área de logística.

A startup fez uma análise cruzando o resultado do estudo com dados de uso de serviços de saúde para uma amostra menor de participantes, que mostrou que, entre aqueles com queixa de insônia crônica, pode haver um gasto de saúde 2,3x maior do que aqueles sem queixa de insônia.

Além disso, esse é um dado que coincide com os dados do estudo do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo (EPISONO). A pesquisa apontou que 15% da população da cidade de São Paulo tinha insônia crônica e, essas pessoas, tiveram um aumento de 63% no risco de usar serviços de saúde.

Uma boa qualidade de sono ajuda a evitar o suicídio

Estudos de meta análise demonstram que para cada hora de sono a mais reduz-se em 11% o risco de tentativas de suicídio. Além disso, queixas de sono estão fortemente relacionadas à ideação e pensamento suicidas e também à ocorrência das tentativas, e essa relação é independente ao diagnóstico de depressão, principalmente em jovens.

Por isso é muito importante abordar a qualidade do sono dentro da empresa, principalmente durante o Setembro Amarelo, campanha que visa a conscientização sobre a prevenção do suicídio.

E já pensou que além de falar sobre a importância do sono para a saúde mental, você pode ajudar os seus colaboradores a melhorarem na prática a qualidade do sono deles? A HealthBit se uniu à Vigilantes do Sono para fazer um mapeamento gratuito do sono dos colaboradores para apontar pontos de melhoria na qualidade do sono de cada um deles, aumentando assim a saúde e bem-estar. Isso é relevante também para a empresa já que um colaborador com insônia, além de ter abertura para um quadro de depressão, têm mais gastos com a saúde do que um colaborador com boa qualidade de sono.

Quer saber mais sobre essa parceria e o mapeamento? Entre em contato conosco https://www.healthbit.com.br/contatocomercial